Manchester à Beira-Mar | Sensível, com fortes atuações mas em um ritmo muito lento

Drama Filmes Reviews Slide
7

Bom

Manchester à beira mar (Manchester By The Sea) – 2017
Direção: Kenneth Lonergan
Roteiro: Kenneth Lonergan
Elenco: Casey Affleck, Michelle Williams, Kyle Chandler e Lucas Hedge.

Manchester à beira mar é o filme pra quem já sentiu o vazio de uma perda. Sentimental, emocionante e profundo, ele te faz refletir sobre a vida, tanto a sua quanto a do personagem Lee Chandler, interpretado pelo agora muito famoso Casey Affleck. Mas será que a atuação de Affleck vale mesmo um Oscar?

A cidade de Manchester é o palco dos acontecimentos do filme. A premissa é simples. Lee trabalha como um faz-tudo e vive sozinho até que recebe a notícia da morte de seu irmão, que o deixa como tutor do seu sobrinho. Lee é mostrado durante o filme todo como alguém que vive uma vida desagradável e vazia. Apático e as vezes inexpressivo. Eu digo que foi o papel perfeito para Casey Affleck sair das sombras da carreira de seu irmão, Ben. Mas pra quem já viu outros filmes de Casey sabe que a expressão facial nunca foi muito seu forte, portanto o resultado do seu trabalho aqui não me surpreendeu tanto como a mídia impulsiona, apesar de ser um trabalho de respeito.

O ponto forte do filme eu deixo nas mãos de Kenneth Lonergan. Um diretor também escondido entre poucos filmes medianos e que agora lança uma obra excelente que te convence na técnica, na trilha e fotografia. E ainda por cima gosta de esconder um segredo e de surpreender quem assiste. É o que eu mais gosto em um filme, o elemento surpresa.

A forma como a historia é mostrada se torna incomum e atemporal e aos poucos você entende o porque Lee era tão depressivo e apático. As explicações são surpreendentes e suficientes pra você aceitar que essa é uma história pesada e emocionante e mesmo que o ritmo seja muito lento, ela ainda funciona bem. Destaque para o adolescente Lucas Hedges que vive o sobrinho de Lee, Patrick.

Michelle Williams é belíssima e muito talentosa contudo quase não entra em cena e apesar de saber conduzir um papel dramático muito bem, não vejo que ela teve a chance de fazer por merecer uma indicação ao Oscar.

Detesto ser aquele que critica quando todos dizem o contrário. Mas já vou dizendo mesmo assim. Manchester à Beira-Mar tem uma história angustiante e uma direção sensível mas para um drama ganhar força, os atores deveriam ter um destaque maior e não foi isso que eu vi. Apesar de Affleck ser o principal, não o vejo como merecedor do Oscar.

O diretor Kenneth Lonergan transformou um roteiro bom em um filme visualmente belo e de uma carga dramática forte onde o destaque fica nas mãos dos atores que fazem o suficiente mas nada além disso. Affleck, Hedges e Williams estão muito bons nos papéis mas para um filme de Oscar eu esperava bem mais dos atores. No máximo eu diria que Lucas Hedges foi quem me convenceu mais aqui.

 

7

Bom

Lost Password