La La Land – Cantando Estações | Produção com inúmeras indicações ao Oscar é música para os olhos

Filmes Reviews
10

Perfeito

Filme: La La Land (2016)
Roteiro: Damien Chazelle
Diretor: Damien Chazelle
Elenco: Emma Stone, Ryan Gosling, Rosemarie DeWitt, J.k. Simmons, Amieé Coon.

Avenida repleta de carros, cores vibrantes, empolgação e passos perfeitamente coreografados. Nos primeiros minutos La La Land já mostra não se tratar de um musical padrão. Em um plano-sequência impecável ele prepara o espectador para o que vem pela frente. É impossível desgrudar os olhos da tela. O filme mais aclamado do momento foi o grande vencedor do Globo de Ouro, levou 7 estatuetas para a casa, teve 11 indicações ao prêmio BAFTA, e é o favorito ao Oscar.

O Diretor e roteirista é o americano Damien Chazelle, o mesmo de Whiplash (2014). É o segundo filme dele em que a música aparece como um dos grandes protagonistas. La La Land tem chamado atenção por inúmeros fatores, mas a grande surpresa foi trazer a mesma energia dos musicais clássicos do século passado, como Cantando na Chuva, onde os atores além de atuar, deviam dançar, cantar e sapatear primorosamente.

É uma ode aos musicais Hollywoodianos dos anos 50 e 60, o que por si só já é algo digno de nota. Em tempos de heróis com superpoderes, produzir um filme que pretende trazer um resgate a um gênero considerado datado, e que não tem aparecido no cinema é algo muito corajoso.  O longa é um musical moderno ambientado em Hollywood, nos moldes dos grandes clássicos da era de ouro. O moderno e o antigo conversam muito ao longo da trama. São inúmeras referências presentes nos lugares, roupas, músicas, e em tudo que rodeia os personagens.

Emma Stone é Mia, uma aspirante a atriz que não consegue oportunidades na área. O mais perto que chegou de seu sonho foi trabalhar na cafeteria dos estúdios da Warner Bros. Sebastian (Ryan Gosling) é um exímio pianista apaixonado por Jazz que teme pela morte do estilo musical e sonha poder abrir um bar que reverencie os grandes músicos. Ambos atores estão maravilhosos e são merecedores do Globo de Ouro. Gosling inclusive aprendeu a tocar piano para dar vida ao personagem. É inegável a química dos dois e toda a entrega que tiveram na atuação, no canto e dança.

Dividido pelas estações do ano, Chazelle mostra o romance dos dois iniciando pelo inverno, momento em que ambos enfrentam dificuldades em Los Angeles. É interessante observar que as mudanças nas estações são relativas ao estado emocional dos personagens. Ao entrar na primavera e verão, novos sonhos e desejos surgem. A trama começa a ganhar cores extremamente vibrantes, mostrando a energia e vontade dos dois em realizar seus sonhos. Tudo é muito rápido, e conforme o tempo passa as cores das roupas dos personagens vão aos poucos ficando com tons mais sóbrios, representando seu estado de espírito. O diretor move a câmera de forma diferente em cada estação e cria uma espécie de sub-gênero dentro do musical. No verão e primavera a comédia fica evidenciada, no outono e inverno, o drama.

Quem não é fã do gênero pode achar que o filme não vai provocar o mesmo sentimento. Ledo engano, La La Land é para todos. Ele é uma obra-prima sensível, com um roteiro que pode parecer piegas, mas sua construção está longe de ser previsível. É crítico, criativo e inteligente, sem falar na direção primorosa.

O fato do próprio longa existir é uma crítica à indústria do audiovisual e a ditadura dos Blockbuster. Chazelle demorou anos para produzir o filme, já que nenhum estúdio estava disposto a financiar um musical original contemporâneo sem canções familiares e fora dos padrões atuais. Ryan Gosling representa na tela o intuito do diretor de valorizar o passado. Assim como o personagem quer lutar para que as pessoas apreciem o Jazz e não deixem o estilo morrer, o mesmo faz Chazelle ao trazer à tona um filme como La La Land. É uma crítica aos padrões atuais em prol de uma maior espontaneidade, seja na música ou no próprio cinema. Ele fala dos limites que às vezes impomos aos nossos próprios sonhos. La La Land é uma celebração à vida. É um bálsamo em tempos aflitivos, um deleite visual e auditivo que vai te fazer refletir e acreditar.

Filme: La La Land (2016)
Roteiro: Damien Chazelle
Diretor: Damien Chazelle
Elenco: Emma Stone, Ryan Gosling, Rosemarie DeWitt, J.k. Simmons, Amieé Coon.

10

Perfeito

Lost Password